Pré-carregador

A Carregar

imagem

Como Trabalhar Remotamente: O que precisas saber

O trabalhar remotamente chegou para ficar e não é só “mais uma” tendência. Neste artigo abordamos os principais sites, dicas e informações  que precisas para começar a trabalhar a partir de casa (seja em que parte do mundo for).   Publicidade

O que é trabalhar remotamente?

Freelancer nas docas

Freelancer nas docas

Trabalhar remotamente é o mesmo que dizer que trabalhas de qualquer parte do mundo, isto é, do local que entenderes—aquele que mais gostas, onde mais produzes e com o qual mais te identificas. O local a partir do qual trabalhas hoje não tem, contudo, de ser o mesmo de onde trabalhas amanhã. Aliás, aquilo que melhor distingue o trabalho remoto de outras formas de trabalhar é o facto de teres a liberdade e o poder de decisão de trabalhar a partir do sítio que quiseres.

O local onde se trabalha é a principal diferença

Essa é, simultaneamente, a principal diferença entre trabalhar remotamente e trabalhar de forma “convencional”, isto é, num full-time ou part-time onde a tua presença é imprescindível.

Trabalhar remotamente não exige local nem horário específico

O trabalho remoto não exige, por isso, a fixação de um local—nem tão pouco de um horário de trabalho específico. Atenção: Obviamente cada caso é um caso e cada função remota é diferente. Em poucas palavras, trabalhar remotamente significa que não tens de te deslocar para o escritório todos os dias para, efetivamente, trabalhar.

Quem trabalha com contrato tem regras diferentes

O mesmo não acontece a quem trabalha por contrato, ainda que a lógica seja exatamente a mesma quando comparada com um trabalho “convencional”. De facto, são muitos os trabalhadores remotos que conseguem contratos com empresas estrangeiras, trabalhando para as mesmas um número específico de horas por dia. No entanto, a maior parte das entidades não impõe um intervalo temporal, mas sim um número de horas de trabalho, deixando à escolha do funcionário trabalhar no horário que quiser.

Trabalhar remotamente

Há várias formas de trabalhar remotamente e tudo depende daquilo que tu sabes fazer, assim como das oportunidades de trabalho que encontrares (mas já lá vamos). Um trabalhador remoto pode acumular, em simultâneo, várias formas de trabalhar. Por isso, há alguns conceitos que deves reter antes de aprofundarmos estes temas:

Nómada Digital

Nomada Digital

Nómada Digital

Estas são pessoas que trabalham enquanto viajam pelo mundo, ficando em cada país por períodos que podem ir dos 3 aos 6 meses e que podem trabalhar a contrato ou a recibos;

Freelancers

Pessoas que não têm um “patrão” e que trabalham por conta própria, sendo responsáveis por encontrar os seus clientes—podem, contudo, trabalhar com contratos de prestação de serviços;

Trabalhadores remotos a contrato ou recibos?

Ora, pelo que já terás percebido, há uma componente comum a todos os tipos de trabalhadores remotos, que é o vínculo contratual (ou ausência dele) que têm com os seus clientes. No caso de não celebrarem um contrato convencional, pode ser-lhes proposto um contrato de prestação de serviços ou, então, é-lhes pedido que passem um recibo a comprovar o trabalho desempenhado.

Qual a melhor opção?

Esta é uma questão vai depender do tipo de trabalho (e cliente) que encontrares. Ainda assim, até à data da publicação deste artigo, há uma empresa portuguesa que trabalha de forma 100% remota, onde a maioria dos funcionários é de origem portuguesa. A WEBrand Agency é, contudo, um bom exemplo de como é possível trabalhar remotamente no país.  

Salários e impostos

Esta é uma questão vai depender do tipo de trabalho (e cliente) que encontrares.

A maioria trabalha com recibos verdes

Posto isto, já deves ter adivinhado que a maioria dos trabalhadores remotos trabalha a recibos verdes, que podem ser passados por projeto ou, então, em cada mês, caso mantenham uma colaboração mais constante com algum cliente. Neste caso, não existe um horário de trabalho definido, pelo que é da responsabilidade do trabalhador organizar as entregas que tem de fazer da forma que entender.

Como trabalhar com recibos verdes

Recibos verdes Portal das Finanças

Recibos verdes Portal das Finanças

Ninguém pode passar recibos do dia para a noite, isto porque é necessário “Abrir Atividade” no Portal das Finanças. É depois desse passo que começas a trabalhar legalmente e que passas a pagar os impostos que qualquer trabalhador independente tem de pagar. Para abrires atividade nas Finanças, tens de escolher o código oficial (conhecido como código CAE) que identifica a tua atividade, ou seja, a área na qual prestas serviços. É fundamental que o faças pois só assim conseguirás concluir o processo de abertura de atividade e, mais tarde, emitires os recibos com a frequência necessária.

Isenção de contribuição no primeiro ano

De uma forma geral, no primeiro ano de atividade estás isento do pagamento de qualquer tipo de impostos, mas a situação não se repete nos anos seguintes, e é na emissão desses recibos que será calculado o valor dos impostos que deves pagar.

Pagamento do IVA

Em relação ao IVA, os trabalhadores independentes estão isentos de o cobrar se, num ano, não faturarem mais de 12.500€—mas o mesmo não acontece com o IRS, e há duas formas de o pagar.

Pagamento do IRS

Podes escolher fazer retenção na fonte caso queiras descontar sempre uma percentagem do valor de cada recibo de cada vez que emitas um. Por outro lado, podes optar por não pagar o IRS dessa forma e só o fazer no ano fiscal seguinte. Se optares por esta última forma de pagamento, aconselhamos-te a que coloques o valor equivalente “de parte” de forma a controlares as tuas poupanças. De qualquer maneira, essa é uma quantia que vais ter de pagar mais cedo ou mais tarde, por isso, se a poupares frequentemente, não te vais “assustar” quando tiveres de preencher a declaração do IRS no ano seguinte.

Pagamento à Segurança Social

Outro dos impostos que terás de pagar é o relativo à Segurança Social e, para isso, terás também de criar uma conta no site da Segurança Social Direta (SSD). Depois de preencheres os teus dados e comprovares que tens atividade aberta nas Finanças, estás apto para preencher a Declaração Trimestral.

Tem por base os rendimentos auferidos

É com base nessa declaração que vai ser apurada a percentagem do imposto que tens de pagar mensalmente. A Declaração Trimestral, tal como o próprio nome indica, tem de ser entregue de 3 em 3 meses~. Caso não o faças, terás de pagar uma espécie de “multa” elevada.

Data de entrega

O documento é, por isso, entregue através do portal da SSD nos meses de janeiro, abril, julho e outubro. Em janeiro acontece, também, a entrega da declaração anual, que confirma os valores recebidos no ano civil anterior. Vê em baixo um exemplo de contribuição à segurança social como trabalhador independente:

Exemplo Contribuição trabalhador independente à segurança social

Por exemplo: vamos imaginar que ganhaste 16.000€ (brutos) em 2020. No ano seguinte (2021), se mantiveres um rendimento mensal de 1.500€ (brutos), terás de descontar, por exemplo, 11.5% desse valor. Ou seja, 172.50€ (retenção) + 345€ (IVA) + 124,09 (Segurança Social). O Guia Prático da Segurança Social explica, detalhadamente, a situação dos escalões. No total o trabalhador independente irá, então, receber 858.41€ dos 1.500€ mensais.

Os trabalhos remotos com maior procura

Chegou a hora de ver quais são as profissões mais procuradas pelas empresas. Hoje em dia, quase todas as funções podem ser desempenhadas remotamente, mas há áreas que têm maior procura, como é o caso daquelas que se seguem:
  • Assistente de Call Center;
  • Assistência ao Cliente;
  • Programação;
  • Vendas – Comercial;
  • Ensino à distância;
  • Transcrição;
  • Tradução;
  • Web Development;
  • Design Gráfico;
  • Produção de textos.

Especialização na área

Caso já estejas convencido de que a abrangência de áreas para trabalhar remotamente é realmente grande, queremos dar-te um conselho:
É importante que te especializes numa só área, ou seja, naquela na qual queres trabalhar e cujo produto/serviço queres vender.
Ora, uma das melhores coisas que podes fazer nesse sentido é aprofundar o conhecimento que já tens e uma das formas mais fáceis de fazê-lo é através de cursos online (acessíveis em plataformas como a Udemy ou o Skillshare). É importante que reúnas o máximo de conhecimento possível para que te possas diferenciar da concorrência.

Melhores sites para encontrar trabalho remoto

Trabalho no Upwork

Trabalho no Upwork

Existem diferentes plataformas onde podes encontrar trabalho remoto, sendo que a maior parte delas são internacionais. De seguida, podes encontrar os principais sites para começares a trabalhar remotamente:
  1. Upwork
  2. Fiverr
  3. FlexJobs
  4. We Work Remotely
  5. RemoteOk
  6. ProBlogger
  7. Freelancer
  8. Outsourcely
  9. AngelList
  10. Workana
  11. Indeed
  12. Working Nomads
  13. Zaask
  14. Dynamite Jobs
  15. Craigslist
  16. Remote.co
  17. Letsworkremotely
  18. SolidGigs
  19. HubStaff Talent
  20. Jobspresso
Se quiseres saber mais sobre estes sites, preparámos para ti a lista dos 15 melhores sites de trabalho remoto.

Melhores sites para portugueses

O Upwork, Zaask e Freelancer são três das plataformas mais populares para portugueses. Nota que, estas são as plataformas mais “gerais” para encontrar trabalho remoto, sendo que existem outras dedicadas a cada área/profissão. No entanto, se estás ainda a dar os primeiros passos neste “mundo”, os sites acima mencionados são os melhores para o efeito.

Usa o Facebook e outras redes sociais

Para além desses, podes ainda dedicar algum do teu tempo a procurar grupos de trabalho remoto em redes como o Facebook, que têm várias páginas privadas onde são publicadas ofertas de trabalho quase diariamente. Outra das redes sociais onde encontras oportunidades de trabalho remoto é o LinkedIn. Basta acederes ao separador “Vagas” para encontrares as ofertas publicadas em todo o mundo.

10 dicas para trabalhar remotamente

Ao contrário do que a maioria das pessoas pensa, trabalhar remotamente exige uma enorme disciplina. É muito fácil trabalhar tempo a mais, é muito fácil ceder procrastinação e não trabalhar em determinado dia, da mesma forma que é muito fácil perder clientes e isolares-te socialmente. Por isso, aponta estas dicas se quiseres trabalhar remotamente para que tenhas sucesso no teu percurso:

1. Define onde vais trabalhar

É essencial que o faças e que definas uma zona de casa para trabalhar. Pode ser o escritório, a sala ou o quarto, desde que seja um local onde te sentes confortável e no qual consigas trabalhar concentrado.

2. Desenha uma rotina

É fácil deixares o trabalho acumular, da mesma forma que é fácil esqueceres-te que és um ser humano que deve ser alvo e alimentar- se convenientemente (acredita, isto é muito importante). Define a parte do dia em que vais trabalhar e escolhe aquela na qual produzes mais (e melhor).

3. Faz pausas

Fazer pausas no trabalho

Fazer pausas no trabalho

De hora em hora, faz uma pausa. Levanta-te, atualiza-te nas redes sociais e lê as últimas notícias. Ou então simplesmente faz uma pausa dos ecrãs e respira um pouco de ar fresco. Acredita. Não trabalhes horas a fio, porque não vai resultar.

4. Constrói o teu portefólio

Esta é uma dica essencial e que não deves deixar “para a última”. Seja qual for a área em que trabalhes, constrói um portefólio do trabalho que já fizeste para mostrares aos teus potenciais clientes;

5. Mantém o LinkedIn atualizado

É a rede social profissional mais usada em todo o mundo. Por alguma razão será, não achas? Atualizar é uma boa prática que te vai ajudar a conquistar clientes. E não te restrinjas só a esta rede social, mantendo todas as que tiveres atualizadas para que qualquer pessoa consiga estar a par do teu trabalho.

6. Trabalha num cowork periodicamente

Trabalhar em Coworking

Trabalhar em Coworking

Visita um espaço de coworking pelo menos uma vez por semana para poderes aumentar a tua rede de contactos e, quem sabe, encontrar novas oportunidades de trabalho.

7. Monitoriza o teu tempo

Controla o tempo que demoras a concluir cada projeto que te pedem; é importante para que saibas qual o preço que deves praticar.

8. Não existe um “preço muito alto”

Ganha noção do teu valor e qualidade de trabalho e nunca aches que estás a cobrar demasiado pelos teus serviços;

9. Mantém-te sempre online

Ficar online

Ficar online

Procura estar constantemente atento ao teu email, telemóvel e redes sociais. As oportunidades não chegam com aviso prévio.

10. Atualiza-te constantemente

“O saber não ocupa lugar”. Faz cursos online, lê artigos e livros sobre a tua área e procurar melhorar a qualidade do teu trabalho sempre que possas. Poderá ser interessante veres as 10 dicas para teletrabalho que preparámos, pois ligam-se muito às dicas que acabámos de analisar.

Vale a pena trabalhar remotamente?

Trabalhar Remotamente

Trabalhar Remotamente

Agora estás mais preparado para começar a trabalhar remotamente, se assim o desejares. Penso que é um regime de trabalho que vale imenso a pena e espero que as dicas que te dei te possam ajudar no teu percurso. Se tiveres dúvidas ou questões, deixa um comentário e eu responderei.

deixe o seu comentário


O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Carregando
Mudança de Cor